Vocês sabiam que é rotina usar COLA BIOLÓGICA em cirurgias, inclusive as cardíacas, para colar pontualmente alguns tecidos. Sim, é verdade e sobre esse assunto temos uma boa notícia.

A revista “Science” publicou estudo de Harvard  com os primeiros resultados de sucesso de uma cola biológica super forte, que também adere a superfícies úmidas (o que é um desafio), feita a base da substância que determinada lesma existente na Europa solta para se defender de perigos.

Essa cola de Harvard, inclusive, foi testada com sucesso para fechar um buraco no coração de um porco  vivo: a cola não vazou ou soltou, mesmo com o tecido cardíaco úmido de sangue.

O próximo passo é testar a duração e os efeitos adversos, além de tentar desenvolver versões biodegradáveis que desaparecem à medida que o corpo se recupera!

Vamos aguardar e torcer porque a rapidez e a eficiência da cola contribui para uma cirurgia mais rápida e, em consequência, um pós-operatório melhor também – o que é uma boa perspectiva para nós, médicos intensivistas de UTI’s pós-operatórias.

– Dica Dra. Vanessa Guimarães –