Talvez muitos papais e mamães pensem que #colesterolalto é coisa de adulto e, por isso, seus filhos estão livres desse mal que é um fator de risco importante para as doenças cardiovasculares (infarto, AVC e trombose). Esse é um engano muito comum e que deve ser bem esclarecido aos pais. A aterosclerose (que é o endurecimento das artérias que levam a essas doenças) começa na infância.

Crianças com alimentação rica em gordura, carboidrato, açúcar e conservantes artificiais já têm estrias de gordura se acumulando dentro das artérias aos 10 anos de idade! Essa doença, principalmente quando tem cunho genético associado, no caso da Hipercolesterolemia Familiar, vai se manifestar em placas de gordura dentro das artérias do coração, aos 20 anos, e no infarto e AVC, a partir dos 40 anos.

Um dos remédios para evitar essa condição está ao alcance de todos e não tem efeitos colaterais. Comida! Sim, a boa e tradicional comida caseira, sem conservantes, rica em verduras, legumes e frutas e consumindo moderadamente carnes e carboidratos — evite exageros nos laticínios (especialmente as bebidas lácteas e iogurtes adoçados e aromatizados) e embutidos. Essas dicas valem desde os primeiros meses de vida, que é a fase em que o paladar é formado na criança.

Bebês que têm pouco contato com os vegetais não têm o paladar treinado para achar esse tipo de comida gostosa. Além disso, exercícios físicos também são importantes, como andar de bicicleta, brincar no parquinho, passear com o animal de estimação.

Mamães e papais, abracem o desafio de praticar hábitos de vida saudável na família, a partir de seus próprios exemplos. Esse é o maior e melhor legado que vocês podem deixar para os seus filhos. Saúde!