Quando a terapia com medicamentos não têm mais efeito para manter o coração funcionando, de maneira a garantir uma boa circulação de sangue e nutrientes no organismo, o suporte circulatório mecânico pode ser a única possibilidade para o paciente.

Esse suporte se constitui na instalação de uma bomba que substitui a função do coração. Em alguns casos, ela é acrescida de uma membrana externa ao corpo que simultaneamente substitui a função do pulmão de oxigenar o sangue.

O médico especialista em suporte circulatório mecânico é apto a identificar o momento em que é preciso instalar o mecanismo para dar suporte ao coração e, quando necessário, ao pulmão. Ele também está capacitado para calibrar e monitorar o funcionamento desses equipamentos, bem como lidar com complicações durante o tempo de uso.

É ainda capaz de conduzir a equipe que trabalha na manutenção do equipamento de suporte circulatório, 24 horas por dia. Avalia também as condições para a retirada do dispositivo (caso tenha havido a recuperação cardiocirculatória), para sua troca (por exemplo, por outro de um de maior durabilidade) ou para a indicação de transplante cardíaco.