O Raio X foi o primeiro exame de imagem capaz de mostrar a fisiologia do corpo humano vivo e de forma não-invasiva.  Durante muito tempo, ele foi o único a realizar tal feito. Hoje em dia, há uma ampla gama de exames de imagem mais precisos para determinados diagnósticos, com a vantagem de terem pouca ou nenhuma radiação.

Mesmo assim, o velho Raio X continua a ter seu lugar no menu de exames que o médico necessita para diagnosticar ou acompanhar os resultados do tratamento.

Por exemplo, ele é muito bom e tem ótimo custo-benefício para mostrar a área que o coração está ocupando no toráx da criança, em cardiopatias que aumentam o volume do órgão. Igualmente é útil para mostrar a trama vascular pulmonar, indicando se há muito ou pouco sangue no pulmão.

Quando bem indicado, o Raio X oferece benefícios.