A cardiologia pediátrica cuida de pessoas que nascem com problemas no coração ou que os adquirem na infância. A especialidade, contudo, é mais ampla. Ela inclui também o acompanhamento de crianças que fazem condicionamento físico e aquelas com doenças sistêmicas (obesidade, diabetes, hipertensão arterial e sedentarismo), que precisam de medidas de prevenção da síndrome plurimetabólica.

No caso de o paciente ter nascido com alteração cardíaca, ele deverá ser acompanhado por um cardiologista pediátrico ao longo de toda a vida.

A evolução tecnológica e científica na cardiologia pediátrica têm sido marcante nas últimas décadas. Avanços na ecocardiografia, na cirurgia e em procedimentos hemodinâmicos (cateterismo) têm possibilitado tratamentos cada vez mais eficazes.

A ampliação do conhecimento dos cardiopediatras sobre detalhes das doenças, por sua vez, tem resultado em maiores chances de sobrevida e melhor qualidade de vida aos cardiopatas.

A consulta com um profissional especializado em cardiologia pediátrica permite, através do exame físico específico, amparado por exames complementares, definir ou excluir o diagnóstico de cardiopatia.

Uma vez definido o diagnóstico de uma doença cardíaca, o cardiopediatra esclarece dúvidas, ampara os pais e familiares e direciona a melhor terapêutica.

Algumas doenças precisam apenas de acompanhamento clínico e outras de medicamentos. Há aquelas que necessitam de intervenção mais específica, que pode ser menos ou mais invasiva. Na primeira categoria encontra-se o cateterismo e na segunda, a cirurgia, desde as mais simples até as complexas.