Muitas das cardiopatias congênitas precisam de um procedimento cirúrgico para a sua correção ou para a melhora da condição fisiológica do paciente. Após a realização do procedimento cirúrgico e/ou do cateterismo, a grande maioria dos pacientes requer monitoramento e cuidados em uma unidade de terapia intensiva.

É nesse espaço terapêutico que o médico especialista em pós-operatório se dedica a cuidar das intercorrências, no período de recuperação, que vão desde arritmias e sangramentos a até parada cardiorrespiratória. O especialista em pós-operatório está apto também a indicar o uso de medicamentos específicos, para ajudar na recuperação do coração operado.

Durante os dias que sucedem a cirurgia, o especialista em pós-operatório também prepara o paciente para a alta da UTI. Esse processo envolve a programação da retirada de tubo orotraqueal, drenos, fios de marca-passo, sondas gástrica, enteral e vesical e também das medicações vasoativas, de maneira que ele possa ir para o quarto sob medicação apenas por via oral.