Dia 21 de março é comemorado o Dia Internacional da Síndrome de Down porque essa data (21/03) faz alusão a trissomia do 21.

Nosso post poderia ser direcionado para a fisiopatologia, diagnóstico e características clínicas.

Como a representatividade importa, apresento a vocês o David, personagem do meu livro Pais de Cardiopata, portador da Síndrome de Down!! Dedico aos meus queridos pacientes e pais dos meus lindinhos!!

Quando nos propomos a escrever sobre a Síndrome de Down é impossível não falar de amor. Esses pacientes nos convidam a contemplar a vida de uma forma especial, porque sabem desfrutar da essência de ser quem são. 💚Entendem a nobreza de amar sem pedir nada em troca.

Antes de aprenderem a fala, o sorriso deles já diz tudo e mesmo antes dos primeiros passos, já nos ensinam como trilhar o caminho… E como estamos falando de amor, não poderíamos deixar de falar de 💓, não é mesmo?

A cardiopatia congênita mais prevalente na Síndrome de Down é o Defeito do Septo Atrioventricular(DSAV), acometendo até cerca de 50% dos pacientes. Como nessa síndrome o DSAV geralmente é completo, os pacientes podem apresentar ainda no 2º mês de vida sinais de Insuficiência Cardíaca, como taquipnéia, dificuldades com amamentação que repercutem com perda de peso e até mesmo cianose.

Por isso, recomenda-se que quando diagnosticada essa cardiopatia seja feita a correção cirúrgica antes dos seis meses de idade.

Hoje, nossas homenagens são para vocês que podem chegar onde quiserem com essa dose tripla de força, coragem, determinação e amor genuíno!

Por @mabellefragoso e Dra. Vanessa Guimarães CREMESP 118.641