A icterícia neonatal é a manifestação clínica da hiperbilirrubinemia indireta e se manifesta através da coloração amarelada das mucosas e da pele dos bebês.

EM QUE IDADE ELA ACONTECE?
A icterícia neonatal pode ocorrer nas primeiras 24 horas do bebê e nesses casos representa um sinal de gravidade podendo ser decorrente de causas hemolíticas, pode também ocorrer na primeira de vida com pico do 3º ao 5º dia sendo denominada de icterícia fisiológica do RN. Além disso, pode ocorrer icterícia neonatal após 2 semanas de vida, geralmente associado a causas colestáticas.

QUAIS AS CAUSAS DE AUMENTO DA HIPERBILIRRUBINEMIA INDIRETA?
Doenças hemolíticas como incompatibilidade ABO, deficiência de G6PD, hemoglobinulopatias, doenças como hipotireoidismo, dentre várias outras.


COMO DIAGNOSTICAR?
O diagnóstico é clínico, e pode ser confirmado através do exame laboratorial, com dosagem de Bilirrubinas Totais e bilirrubina direta e indireta.

COMO É FEITO O TRATAMENTO E QUANDO DEVEMOS INICIÁ-LO?
Para nortear a terapia podemos usar a determinação das zonas de Krammer (demarcam o território acometido) e exames laboratoriais que irão ajudar determinar a causa e nos mostrar valores que podem ser colocados em gráficos que demonstram as taxas de bilirrubina indireta aceitáveis para a idade. A partir daí será decidido sobre iniciar ou não o tratamento, que pode ser feito através de fototerapia ou exsanguineotransfusão.

QUAL O TIPO MAIS COMUM DE ICTERÍCIA NEONATAL E QUAIS MEDIDAS PODEMOS TOMAR PARA DIMINUIR A OCORRÊNCIA?
O tipo mais comum de icterícia neonatal é a icterícia fisiológica do recém-nascido. Ela pode ocorrer devido à imaturidade hepática dos bebês e também a baixa oferta enteral, já que se não houver colonização adequada do intestino, ocorre aumento da circulação enterro-hepática. Dessa maneira, a dica para evitar a ocorrência da icterícia nos pequenos, é esperar pelo trabalho de parto, visando maior idade gestacional possível.

Por: @mabellefragoso e Dra. Vanessa Guimarães CREMESP 118.641


– Dra. Vanessa Guimarães: Cardiologia pediátrica, UTI cirúrgica e Transplante Cardíaco –