Atenção para a dica de hoje da Dra. Vanessa!

O que causa um problema no coração de um bebê

Os médicos nem sempre sabem por que um bebê tem um defeito cardíaco congênito.

As cardiopatias congênitas tendem a ocorrer em família e as chances aumentam se um dos pais ou parente tiver problemas.

Outras questões que tornam esses defeitos mais prováveis ​​incluem:

Problemas com genes ou cromossomos na criança, como a síndrome de Down. Com certas mudanças genéticas, as chances de um bebê ter um defeito podem aumentar em até 50%.

Certos medicamentos. Alguns medicamentos podem aumentar a probabilidade de problemas cardíacos e outros defeitos congênitos se uma mulher os usar durante a gravidez. Entre eles estão os medicamentos isotretinoína para acne e os anticonvulsivantes que contêm valproato. Se você estiver grávida, seu médico poderá trocar para outro medicamento até que seu bebê nasça.

Uso indevido de fumo, álcool ou drogas durante a gravidez. Todos podem levar a defeitos cardíacos congênitos e outros problemas com o desenvolvimento do bebê. Evite-os se estiver grávida.

Uma infecção viral como a rubéola no primeiro trimestre da gravidez. Se uma mulher tiver rubéola durante a gravidez, isso pode criar problemas no coração do bebê. A maioria das pessoas é vacinada na infância. Se você estiver grávida e não tiver sido vacinada ou se não tiver certeza, informe o seu médico. Se você precisa ser vacinado contra a rubéola, você deve esperar pelo menos um mês após a vacinação antes de engravidar.

Diabetes. O diabetes na mãe pode afetar a formação e o crescimento do coração do bebê. O diabetes gestacional, que se desenvolve durante a gravidez, por sua vez, não deve aumentar a chance de um bebê ter um defeito cardíaco.

Gostou da #dicadadravanessa?

Curta, comente e compartilhe com alguém para quem essa informação será importante também!


– Dra. Vanessa Guimarães: Cardiologia pediátrica, UTI cirúrgica e Transplante Cardíaco –