Olá meus queridos, tudo bom? Neste post do projeto Pupilos da Dra. Vanessa trago uma importante informação que é de ajuda e relevância nesta etapa da pandemia, que é a Síndrome inflamatória multissistêmica relacionada à COVID-19 (MIS-C).


O QUE SE SABE:
A doença de Kawasaki-like tem sido reportada em crianças afetadas pela COVID-19. O receptor da enzima conversora de angiotensina 2 possui efeitos anti-inflamatórios e atua como receptora para o Sars-Cov-2. A doença de Kawasaki é uma inflamação aguda sistêmica de pequenos e médios vasos e que atinge crianças menores de 5 anos. Em contrapartida, a Síndrome inflamatória multissistêmica relacionada à COVID-19 atinge crianças mais velhas e adolescentes, com média de idade de 10 anos. A forma severa de COVID-19 em crianças é infrequente, entretanto, tem sido reportada em crianças jovens e com fatores de riscos para agravar o quadro.

MECANISMOS DE ATUAÇÃO: Possíveis mecanismos de envolvimento miocárdico são especulativos e incluem diretamente a invasão viral de monócitos e resposta inflamatória sistêmica, levando à injúria do miócito (célula do músculo cardíaco) que, por sequência, pode causar isquemia miocárdica secundária à hipotensão. Anticorpos e citocinas como a IL-6 possuem grande participação neste mecanismo, corroborando com a hipótese de que a MIS-C é predominantemente regulada pela participação de anticorpos e células do sistema imune que geram a ‘’tempestade de citocinas’’, a qual, por sua vez, gera a injúria miocárdica.


CLASSIFICAÇÃO: O Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos classificou a MIS-C como:

💙Surge em indivíduos com < 21 anos;
💙Critérios clínicos: Mínimo de 24h de história de febre aferida (≥ 38.0 ◦C) ou não aferida, 2 ou + sistemas afetados (cardiológico, renal, respiratório, hematológico, dermatológico, gastrointestinal e neurológico);
💙Critérios laboratoriais: Evidência de inflamação: 1 ou +critérios (PCR elevado, fibrinogênio, procalcitonina, D-dímero, ferritina, LDH ou IL-6, neutrófilos elevados ou linfócitos reduzidos, albumina reduzida), evidência epidemiológica (exposição ao vírus nas 4 semanas antecedentes ao início dos sintomas) ou laboratorial de infecção de Sars-CoV-2: (teste positivo de Sars-CoV-2 por RT-PCR, sorologia ou antígeno);
· Ausência de outras hipóteses diagnósticas;

Fonte: NAKRA NA et al., Multi-System Inflammatory Syndrome in Children (MIS-C) Following SARS-CoV-2 Infection: Review of Clinical Presentation, Hypothetical Pathogenesis, and Proposed Management; Children 2020, 7, 69

Por: @emanuellecamolesi e Dra. Vanessa Guimarães CREMESP 118.641


– Dra. Vanessa Guimarães: Cardiologista pediátrica, UTI cirúrgica e Transplante Cardíaco –